sexta-feira, 1 de julho de 2011

Perda: Sérgio Schmidt um exemplo de homem e superação

Postado por Gabriela de Amorim às 18:56

Escrevo este post como um desabafo! Afinal as redes sociais, orkut, facebook e twitter só me possibilitaram uma frase no status: "Palavras pra definir meu dia: Tristeza, decepção, impotência! Não me conformo que alguém possa tirar a vida de outra! Isso é desumano!". Por aqui quero ir além! Quero falar de sentimentos! De uma trajetória de vida!

Em 2007 passei para pedagogia na UFSC e acho que em 2008 uma amiga da Faculdade (Fernanda Melo) nos apresentou um ótimo lugar para deliciarmos um enorme e saboroso cachorro quente: Sérgio Hot Dog no Kobrasol.

De lá para cá, fomos além do cachorro quente! Como sempre a comida reune as pessoas, mas não era um simples lugar! Sérgio, o dono do estabelecimento trabalhava com sua esposa. Foram tantas idas e vindas, tantas saídas do norte da ilha, para atravessar a ponte e ficar no mínimo 45 minutos numa fila para depois saciar a fome, que as conversas nas filas nos ensinaram muito. Não meras fofocas, mas sim conhecemos a história de vida daquela família. Foi na fila que descobrimos que Sérgio iniciou seu comércio a mais de 20 anos, com um carrinho de cachorro quente, diante de chuva e de sol. Era incrível conhecer como uma família trabalhava unida e a seriedade dele e de Dona Cássia que além de educados, sempre receberam todos muito bem.

Lembro com alegria do dia em que comentávamos na hora do atendimento que por de trás de todo grande homem, tem uma grande mulher. Dona Cássia sorriu e disse que deveríamos dizer isso a Sérgio. Ele sempre compenetrado no trabalho, ouviu e sorriu, reconhecendo talvez nossa afirmação e brincadeira do momento.

Hoje o telefone tocou pela manhã, e como já dizia o ditado que telefone tocando cedo, anuncia má notícia. Era minha amiga Fernanda (a mesma que nos apresentou Sérgio) anunciado que Sérgio havia sido assaltado e ao reagir para defender o filho, foi baleado pelas costas, atingindo seu coração e não resistindo veio a falecer no hospital.

Foi um baque! Como poderia aquele trabalhador, que já tomava medidas preventivas de não trabalhar aos finais de semana e de abrir seu estabelecimento das 16 ás 24hs e que pretendia se aposentar em três anos, pôde ser vítima da covardia de 3 bandidos?

A notícia me abalou psicologicamente e acompanhei as informações veiculadas pela mídia: Click RBS, Jornal Meio Dia, Jornal do Almoço, Visão Geral, RBS Notícias e Diário Catarinense. Segundo a mídia, o corpo demorou a ser liberado para que a família pudesse fazer a despedida e acredito que se não fosse a intromissão" da mídia, acredito que isso teria sido prolongado ainda mais.

Alguns comentários de colegas e amigos foram voltados para a falta e saudade que ficará dos lanches, mas iniciei esse post para dizer que sinto muito, muito mais do que isso. Sinto que a realidade do mundo me espanca com uma notícia bombástica, que uma mídia sensionalista sim, mas também realista, mostra a fragilidade de um ser humano, já desacordado tentando lutar pela vida na maca de um hospital! Atenta também para a comoção coletiva de amigos e conhecidos, que puderam também estar junto aos familiares nesse momento de perda!

Agradeço sempre a Deus por permitir que sempre a vida esteja perto de mim, com muitos nascimentos e poucas mortes de conhecidos e familiares. Nestes 25 anos de vida (metade da idade de Sérgio), perdi meu avô materno Osni, quando ainda nem sabia falar direito e meu outro avô (paterno) aos 19 anos (quando vi meu pai chorar feito criança, por não ter podido mudar o destino de meu avô, que algum tempo já estava internado). Essas perdas próximas talvez tenham me ensinado o quanto Deus tem sido cuidadoso com minha família, sempre presenteando com a vida de novas crianças (primos, irmã, sobrinha e afilhada), que demonstram exatamente o que ouvi certa vez de um pastor: "O nascimento de uma criança é o sinal de que Deus acredita no ser humano". E outras tantas frases me vieram na memória com essa perda!

"A única maneira de ver Deus, é ver o amor de Deus!" e quero por isso, aqui demonstrar que o amor de Deus me deixou abalada, mas que a confiança de que Ele irá confortar o coração dos familiares e parentes de Sérgio, pois "Deus não é fiel a mim ou a qualquer ser humano, Deus é fiel com ele mesmo" e por isso somente Ele pode nos confortar diante das perdas.

Acho que o que fica para mim desta perda, pois chorei e me sensibilizei com o ocorrido, recorrendo aos abraços sinceros e solidários de meus alunos que me receberam com os olhos "segurando" as lágrimas, é que meu coração não é imparcial as barbaridades que estamos vulneráveis, afinal amar é isso, "amar é se preocupar com o outro", é interceder a Deus pelo conforto dos que sofrem pela perda de uma pessoa insubstituível e amada.

“É tão estranho
os bons morrem jovens
assim parece ser
quando me lembro de você
que acabou indo embora
cedo demais.
...
É tão estranho
os bons morrem antes
me lembro de você
e de tanta gente que se foi
cedo demais...”

"Só Deus e o tempo de Deus fazem a gente apagar as dores e superar as perdas!"

1 comentários:

Ingrid Sell Koerich on 1 de julho de 2011 21:13 disse...

='(
Sem palavras!!
T

Postar um comentário

 

Minhas Memórias Copyright © 2010 Design by Ipietoon Blogger Template Graphic from Enakei